sábado, 25 de Outubro de 2014

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Voo...



A nossa cadela, a Nala, também não perde uma ida ao Parque das Nações para correr desenfreadamente, já que aqui, na Buraca, não há jardim com tamanho suficiente para os sprints dela...cão de caça, até voa ;)

P.S - A Nala é filha de mãe solteira e adolescente, arraçada de Perdigueiro e Dálmata. O pai é desconhecido


quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Ponte Vasco da Gama




É por aqui, nestes relvados do Parque das Nações, que a família se junta para festejar aniversários de miúdos e graúdos e onde não pode faltar um jogatana de futebol de pais contra filhos e onde estes, agora, já vencem sempre os pais...é que o tempo passa e eles estão uns craques;) e depois vem sempre o delicioso piquenique partilhado.
Há coisas que - felizmente - nunca mudam...


sábado, 18 de Outubro de 2014

Perdidamente...



                                            Não sei quem és, não sei há quanto tempo conheço o teu cheiro

                                            mesmo quando estás perdidamente longe.

                                            Não sei os caminhos que teria percorrido

                                            se me tivesse aquietado, ficasse e deixasse

                                            passar ao largo as brisas estivais que apaziguariam 

                                            a minha dor de espanto e medo. não sei quem sou

                                            nesta tormenta do corpo entre a ternura e a mágoa 

                                            entre o carinho e o gelo que tantas vez me abraça.

                                            Só deixo que adormeça debaixo da minha pele aquele

                                            tal cheiro que sinto mesmo quando estás perdidamente longe...



quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Maria...




Uma das minhas estrelinhas cá na terra...

domingo, 12 de Outubro de 2014

Prisão...



Às vezes sinto-me prisioneira do coração...quando não quero ouvir, quando não quero acolher, quando só me apetece dormir e deixar o mundo girar como se eu não existisse. E o mundo gira exactamente na mesma como se eu não existisse, porque eu não faço falta ao mundo. Mas as pessoas que precisam de mim ficam de olhar mais triste, mais sós, desiludidas, mais prisioneiras do desgosto.
A Terra não pára de girar quando desaparecemos, mas quando nós paramos e nos agrilhoamos, há gente a chorar por nós e a gritar em silêncio que lhes fazemos falta, que o mundo fica pobre e mais vazio...

terça-feira, 7 de Outubro de 2014

Só porque sim...



Sei que esta fotografia deve desagradar a maioria dos meus amigos bloguistas, mas eu gosto dela sem razão...só porque sim... ....

quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Ai os filhos...




A maior paixão da minha vida, são as minhas filhas, são a  maior empreitada e a obra mais feliz que me foi dada fazer. Não é fácil ser mãe, há muitos espinhos pelo caminho e por vezes cometemos erros. Desde que nasceram que lhes dei todo o meu amor e toda a minha atenção, mas eles crescem muito depressa e muitas vezes não nos entendemos...elas querem experimentar, eu digo que já experimentei e que não resulta, mas não, têm que ir lá confirmar e bater também com a cabeça, para perceberem que afinal era verdade...e assim vão crescendo e voando, cada dia um bocadinho mais para longe de mim e por vezes fica uma mágoa e uma tristeza, a dúvida se lhes demos o que mais precisavam : valores, referências, sentido de justiça e de responsabilidade. Sempre procurei dar liberdade às minhas filhas, deixá-las brincar até à exaustão, se calhar não devia ter sido assim tão, tão.... Mas a verdade é que as coisas não são só brancas ou pretas, há uma nuances pelo meio que penso que devemos respeitar...ai, tenho tantas dúvidas!

terça-feira, 30 de Setembro de 2014



Amo a Natureza na sua simplicidade, no seu estado mais puro e belo. a terra molhada tem um cheiro inebriante, principalmente nas primeiras chuvas depois do Verão. haverá  odor mais avassalador? Também existe o odor do mar do inverno, fresco, forte, intenso...como diz a poetisa,"metade de mim é mar". e as árvores, com seus troncos ásperos onde tantas vezes passo as mãos com prazer e algumas delas trago comigo um bocadinho da sua pele grossa e robusta, só pelo prazer de passá-la de uma mão para a outra, de sentir a essência da vida...
E faltam tantas tantas coisa para dizer! ... em cada dia que penso na natureza e não a digo a ninguém, nasce em mim uma flor...


sábado, 27 de Setembro de 2014

A mágoa no sorriso...




As luzes ferem-me a vista, estou só com uma multidão gritando numa ovação infernal que não suporto, danço e em cada passo a dor, a mágoa no sorriso que invento e cristalizo impunemente, nunca saberão o que danço para quem danço e que a alegria do momento é inventada a cada novo passo a cada lágrima de suor...


quinta-feira, 25 de Setembro de 2014

segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

...



Quando não conseguia chorar, dançava e deixava que as lágrimas vagueassem por dentro, ao som da música que intensificava a dor, o ritmo cardíaco e a loucura de continuar a viver...

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Parabéns !




PARABÉNS DUARTE

Este menino é filho da minha amiga Clarice e é como se fosse meu sobrinho.
Como podem ver, ajeita-se muito melhor com a máquina fotográfica do que a mãe...;) 



quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Família II



Ricardo, o preto, Sofia, a nh'a do meio e Simão, o bife


Como tenho andado sem inspiração para fotografar e para escrever, tenho-me socorrido dos meus arquivos:).
Os rapazes são meus sobrinhos, o 'preto' tem uns pais branquinhos e a mãe inté tem os olhos bem azuis...o 'bife' tem pai inglês e é muito parecido com ele, já que a mãe, minha irmã, tem o cabelo bem escuro...enfim, grande família, grandes diferenças e muita proximidade.